• Facebook Trote&Galope
  • Instagram Trote&Galope
  • Youtube Trote&Galope

© 2014 por TROTE & GALOPE e HELENO CLEMENTE PHOTOEQUESTRE

Todos os direitos reservados. Proibido reproduzir textos ou fotos sem autorização do autor. All rights reserved.

Buscar

Assembleia de FEI aprova mudança nas regras das 3 modalidades olímpicas para Toquio 2020


Recentemente, a Assembleia Geral da FEI aprovou a mudança das regras para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio 2020. Representantes de 76 Federações Nacionais estiveram presentes e outras 31 votaram por procuração, sendo que apenas 11 Federações foram contra a proposta: Albânia, Bulgária, França, Alemanha, Latvia, Luxemburgo, Mônaco, Nova Zelândia, Holanda, Romênia e Suíça. Mas, foi unânime a aprovação das propostas específicas para cada uma das modalidades olímpicas: Adestramento, Concurso Completo e Salto.

A aprovação final ainda passará por votação no Comitê Olímpico Internacional em 2017, mas as novas propostas incluem a redução do número de atletas nas equipes nacionais para três, o que elimina a possibilidade de descarte do pior resultado. A figura do reserva continua valendo e será ainda mais importante como peça chave para assegurar o bem-estar dos cavalos. Luiz Roberto Giugni, presidente da Confederação Brasileira de Hipismo, participou da Assembleia e comentou que a votação foi realmente importante "para o futuro do nosso esporte, se quisermos melhorar a visão universal do esporte de acordo com as recomendações da Agenda Olímpica 2020". Já o Presidente da FEI, Ingmar de Vos, assim manifestou-se após a votação: "Nós precisamos aumentar o número de países participantes nos Jogos Olímpicos, mas sem exceder a cota de 200 conjuntos. Reduzir os membros das equipes para três por país foi, provavelmente, a única maneira de aumentar o número de nações. É claro que isso agora precisa ser aprovado pelo COI, mas abre as portas para países que antes só podiam sonhar com uma participação olímpica". Principais mudanças Salto - Times de três conjuntos (cavalo/cavaleiro) por país, mais um reserva, sem descarte; 20 equipes (60 conjuntos); 15 vagas para nações não qualificadas por equipes (máximo de um conjunto por país) e a prova individual não será antes da prova por equipes.

Cutt-off score: o cutt-off exato e a penalidade resultante serão decididos na Regulamentação Olímpica. Já a penalidade exata para os conjuntos eliminados, ou que não completem o percurso por qualquer motivo, serão decididos na Regulamentação Olímpica. Adestramento - Times de três conjuntos (cavalo/cavaleiro) por país, sem descarte. Cada equipe qualificada para disputa por equipes poderá ter um conjunto ou um cavalo reserva; um conjunto por país não qualificado por equipes.

As medalhas por equipe serão determinadas somente pelo resultado do Grand Prix Special (não mais pela soma dos resultados do Grand Prix Special e Grand Prix); as 8 melhores equipes do Grand Prix (24 conjuntos) se classificam para o Grand Prix Special; introdução de novo sistema para definição das ordens de entrada do Grand Prix Special; Grand Prix Special terá apresentações com música. Concurso Completo - Times de três conjuntos (cavalo/cavaleiro) por país, sem descarte. Será permitido um reserva por equipe. O conjunto reserva é um importante elemento a fim de preservar o bem-estar dos cavalos. Se o conjunto reserva é substituído, uma penalidade será aplicada à equipe. A penalidade exata será decidida na Regulamentação Olímpica.

Máximo de dois conjuntos individuais por país não representado por uma equipe. A ordem das provas será mantida (1º Adestramento, 2º Cross Country, 3º Salto por equipes, 4º Salto individual).

As provas de CCE vão durar três dias (Adestramento será reduzido para um dia). Nível técnico das três provas definidas como "Nível Olímpico": Adestramento e Salto 4*, Cross Country - 10 minutos de duração, 45 esforços, e dificuldade técnica 3*.

A qualificação dos conjuntos deve ser feita em provas com o mesmo nível de Cross Country para assegurar as recomendações da "FEI Independent Audit in Eventing". Com o propósito de classificação das equipes, qualquer conjunto que não completar uma das provas poderá continuar na prova seguinte, desde que aprovado na respectiva Inspeção Veterinária.

Para classificação das equipes, as penalidades por não completar uma prova por qualquer razão serão: Adestramento - 100 pontos, Cross Country - 150 pontos, Salto - 100 pontos. As regras para a disputa individual permanecem inalteradas. Adestramento Paraequestre - Times de três conjuntos (cavalo/cavaleiro) por país, sem descarte. Cada país qualificado poderá trazer quatro conjuntos, dos quais três terão que ser declarados como membros da equipes após as participações individuais e todos competirão individualmente.

Máximo de dois conjuntos individuais por país não representado por uma equipe. As medalhas por equipes serão determinadas somente pelo resultado da prova de equipes (não mais uma combinação dos resultados das provas individuais e por equipes). Os 8 melhores conjuntos individuais de cada grau se classificam para o Freestyle. Ordem das provas: prova individual, prova por equipes, freestyle. A prova por equipes terá apresentações com música. Fonte: FEI - versão CBH

#Tokio2020 #FEI #OlimpíadasdeToquio

1 visualização