Buscar

Rodolpho Riskalla garante bons resultados em Internacional na França e briga por uma vaga no Pan


DRESSAGE - Dono de duas medalhas de prata no Adestramento Paraequestre nos Jogos Equestres Mundiais 2018, Rodolpho Riskalla também compete no Adestramento Clássico e quer defender o país nos Jogos Pan-americanos 2019, onde o Brasil busca a qualificação olímpica.

O cavaleiro de adestramento top brasileiro, Rodolpho Riskalla, garantiu bons resultados no Concurso de Adestramento Internacional 2* Le Mans, parte da programação do Boulerie Jump/ Pole Europeen du Cheval, entre 8 e 10/2, na França. Essa foi a primeira apresentação de Rodolpho montando Don Henrico, após a conquista de duas medalhas de prata individuais no Adestramento Paraequestre nos Jogos Equestres Mundiais 2018 nos EUA, melhor resultado do Brasil dentre todas as modalidades na competição.

Rodolpho e Don Henrico retornam ao picadeiro com sucesso (imagem oficial Le Mans)

Rodolpho, 34, compete com sucesso no Adestramento Paraequestre e Clássico, inclusive, consta entre os conjuntos observados para formação do Time Brasil nos Jogos Pan-americanos 2019 em Lima, no Peru, onde o Brasil também brigará por uma vaga em Tóquio 2020. Abrindo a competição de Adestramento Clássico Internacional em Le Mans, em 8/2, Rodolpho com seu Don Enrico foi 7º na reprise St Georges, totalizando 67.618%. Já no sábado (9/2), a dupla garantiu a 4ª colocação na Intermediate I com 67.235 %, e finalmente no domingo (10), honrou as cores do Brasil com o 5º posto no Freestyle Inter I, 68.533 %. Participaram da disputa, 14 conjuntos provenientes da França, Grã Bretanha, Holanda, Irlanda, Bélgica e Brasil.

"O cavalo foi super bem, eu estava sem fazer prova com ele desde o Mundial, então foi bom para a gente se preparar para a temporada. Na St Georges, ele estava um pouquinho tenso e eu tive uns errinhos no galope, mas classificamos mesmo assim. Na Inter I, fomos muito bem e - nesse domingo - no Freestyle, senti o Don Henrico um pouco cansado e acabamos cometendo uns erros meio bobos. No geral foi muito bom, éramos 14 concorrentes com cavalos bem competitivos", analisa Rodolpho, que já tem sua próxima competição agendada. "Daqui a um mês, vou competir em uma prova Paraequestre em Doha, no Catar, a convite da organização."

Incrível trajetória de superação

O cavaleiro praticava Adestramento Clássico desde os oito anos. Bicampeão Sul-americano, tricampeão Brasileiro e único atleta do país em uma F.E.I. World Breeding Dressage Championships for Young Horses (2013), Riskalla sonhava em integrar a equipe brasileira nos Jogos Olímpicos do Rio 2016. Conseguiu, mas na Paralimpiada, em uma história de coragem e superação.

Em 2015, Riskalla estava estabelecido em Paris e - duas semanas após uma vinda ao Brasil devido ao falecimento de seu pai - contraiu meningite bacteriana. A luta pela vida foi intensa, inicialmente fazendo tratamento em São Paulo e depois em Paris, onde teve que amputar a parte inferior das duas pernas, a mão direita e parte dos dedos da mão esquerda. A enfermidade não o abateu e apaixonado por cavalos e o Adestramento reaprender a andar e voltou a montar. Em menos de um ano, após ter contraído a doença, começou sua trajetória de superação e conquistas, primeiramente integrando o Time Brasil Paraquestre na Rio 2016.

Rodolpho mora em Paris, onde trabalha na Dior e treina com sua mãe Rosangele Riskalla, com todo o apoio de sua irmã, a amazona Victoria Riskalla; seu cavalo Don Henrico foi cedido pela amazona olímpica alemã Ann Kathrin Linsenhof.

fonte: Imprensa CBH (Carola May / Rute Araújo)

#adestramento #dressage #RodolphoRiskalla

0 visualização
  • Facebook Trote&Galope
  • Instagram Trote&Galope
  • Youtube Trote&Galope

© 2014 por TROTE & GALOPE e HELENO CLEMENTE PHOTOEQUESTRE

Todos os direitos reservados. Proibido reproduzir textos ou fotos sem autorização do autor. All rights reserved.