• Facebook Trote&Galope
  • Instagram Trote&Galope
  • Youtube Trote&Galope

© 2014 por TROTE & GALOPE e HELENO CLEMENTE PHOTOEQUESTRE

Todos os direitos reservados. Proibido reproduzir textos ou fotos sem autorização do autor. All rights reserved.

Buscar

Time Brasil de Salto no Pan é ouro e hexacampeão na história dos Jogos


Conquista da equipe também rendeu ao país a vaga em Tóquio 2020, a exemplo, das modalidades Concurso Completo, prata e Adestramento, bronze. Nessa sexta (9/8), Pedro Veniss, Rodrigo Lambre e Marlon Zanotelli estão entre os 35 concorrentes ao pódio individual em igualdade de condições.

A grande final por equipes, valendo vaga olímpica para os três primeiros países, foi disputada em dois percursos a 1.60 metro, com 13 obstáculos totalizando 16 esforços (saltos). O Time Brasil - Marlon Modolo Zanotelli / Sirene de La Motte, Rodrigo Lambre / Chacciama, Eduardo Menezes / H5 Chaganus e Pedro Veniss / Quabri de L' Isle - liderado pelo técnico suíço Phillip Guerdat e chefe de equipe Pedro Paulo Lacerda - conquistou ouro com 12,39 pontos perdidos (pp). México foi prata, 22,97 pp e os EUA, bronze, 23,09 pp. Todas as três equipes e o Canadá, 4º, estão qualificadas para os Jogos Olímpicos 2020.

O Time Brasil de Salto: ouro no Pan Lima 2019 (CBH Luis Ruas)

Após a primeira parcial, o Brasil virou na frente com 7,39 pp, seguido de perto pelos EUA e México, mas tudo estava indefinido. Conforme a regra, a cada rodada, as equipes com quatro conjuntos descartam o pior o resultado. Marlon montando Sirene de La Motte, 1º em pista, fez uma falta (4 pontos) no último obstáculo do 1º percurso e pista limpa no segundo; depois entrou Eduardo com H5 Chaganus, que registrou duas faltas a cada volta e teve seus resultados descartados; Rodrigo com Chacciama fez uma falta no 1º e zerou o 2º. Último em pista - logo em seguida à apresentação da norte-americana campeã olímpica e mundial Bezzie Madden, que cometeu duas faltas - Pedro com Quabri de L' Isle, que já havia zerado a 1ª passagem, acabara de saber que o Brasil já era campeão.

Pedro Veniss com Quabri de L' Isle: três percurso sem faltas (CBH Luis Ruas)

Assim, o resultado mais uma vez foi perfeito: duplo zero de Pedro e Quabri, levantando a torcida no estádio do Club Hípico Militar La Molina, sede do hipismo nos Jogos.

Uma vitória sempre é fruto do trabalho de toda uma equipe. "Só temos a agradecer a todos, à comissão técnica e, em especial, ao nosso técnico Philipp Guerdat", destacaram os campeões com unanimidade. O suíço Phillip, ex-cavaleiro, liderou a França na conquista do ouro na Olimpíada Rio 2016 e é pai do número 1 do mundo e campeão olímpico, Steve Guerdat. "Quando ele deixou de treinar a França, surgiu a oportunidade de assumir o Time Brasil. Foi a realização de um sonho e garantimos a vaga em Tóquio", destacou Pedro, que está em seu terceiro Pan (fez sua estreia nos Pan Rio 2007, quando o país conquistou seu último ouro). "Philipp está presente em todos os momentos, inclusive, na Vila Pan-americana, já ganhou tudo e parece até que tem mais sede de medalha que a gente.. (rs)", pontuou Eduardo, que disputou seu primeiro Pan em 2015. Marlon, que também disputou seu 1º Pan em 2015, lembrou: "no último Pan que ganhamos (Rio 2007), eu estava na arquibancada torcendo pelo Brasil e hoje é um prazer enorme fazer parte dessa equipe. Sonho realizado, vamos para o próximo." Rodrigo, que está em seu primeiro Pan, destacou a união do grupo. "Estávamos todos juntos a cada momento, no aquecimento, todos dando detalhes e palpites, isso faz a diferença."

Luiz Felipe de Azevedo Filho, que dessa vez ficou na reserva, observou: "eu já vim preparado para ser reserva e acho que alguém tem que desempenhar essa função. Estou feliz por estar dentro desse grupo, com técnico como Philipp Guerdat que, é claro, honesto e nos apoia nos momentos difíceis. Agora vamos trabalhar rumo a Tóquio."

Todos os quatro brasileiros competem no exterior e passaram o último mês treinando juntos. "Sem dúvida, esse processo de treinamento nos fortaleceu como grupo e o resultado não poderia ser melhor", finalizou Pedro.

Rumo à final individual

Nessa sexta-feira (9/8), os 35 melhores conjuntos disputam a final individual em igualdade de condições com a contagem zerada. No cômputo geral das qualificativas individuais, Pedro virou em 1º lugar, Rodrigo, 3º, Marlon, 5º e Eduardo foi 16º, mas cada país só pode competir no máximo com três representantes. A 1ª volta da Final por equipes acontece das 11 às 13h horas (13h às 15h BSB) e a 2ª decisiva rodada na corrida pelo pódio individual, das 14 às 15h (16 às 17h BSB).

Hexacampeonato e três vagas olímpicas

Desde o Pan-americano de 2007, o Brasil não conquistava ouro por equipes. O país também foi campeão nos Pans em 1967 e 1999 no Canadá, 1991 em Cuba, 1995 na Argentina e agora nos Jogos Pan-americanos de Lima, conquistando o hexacampeonato. Duas prata por equipes foram conquistados em 1959, em Chicago, EUA, e - em 2011 - em Guadalajara, México; o único bronze em 2003 foi em Santo Domingo. Além do Brasil, somente os EUA detêm o hexa.

Também, desde 2007 o Brasil não subia ao pódio nas três modalidades em Jogos Pan-americanos. No Pan Rio 2007, o Salto foi ouro e o Adestramento e Concurso Completo, bronze. Agora, em Lima, o saldo foi ainda melhor: Salto, ouro, Concurso Completo, prata e Adestramento, bronze.

"Garantindo as medalhas, cumprimos o nosso grande objetivo que era a qualificação para Tóquio", comemorou Ronaldo Bittencourt Filho, presidente da Confederação Brasileira de Hipismo. "Precisamos também agradecer aos integrantes das equipes que garantiram a nossa vaga no Pan, nas seletivas Sul-americanas e todos que participaram do processo seletivo", reforçou o chefe de equipe Pedro Paulo Lacerda.

Felipe, Rodrigo, Marlon, Pedro e Eduardo (CBH Luis Ruas)

Campeão Brasil - 12,39 pp (1º dia: 3,39 + 1ª volta: 4 + 2ª volta: 5) Marlon Modolo Zanotelli / Sirene de La Motte - 4/0 Eduardo Menezes / H5 Chaganus - (8)/(8) Rodrigo Lambre / Chacciama - 4/0 Pedro Veniss / Quabri de L' Isle - 0/0

Técnico: Philipp Guerdat Chefe de equipe: Pedro Paulo Lacerda Veterinário: Rogério Saito

México - 22,97 pp (1º dia: 6,97 + 1ª volta: 4 + 2ª volta: 12) Enrique Gonzelez / Chacna - 0/12 - 14,08 pp Eugenio Garza Perez / Armani SI Z - 4/0 - 9,5 pp Lorenza O Farrill / Queens Darling - 0/(16) - 20,6 pp Patricio Pasquel / Babel - (8)/0 - 8,29 pp

3ª colocada EUA - 23,09 pp - (1º dia: 2,09 pp + 1ª volta: 8 + 2ª volta: 13) Alex Granato / Carlchen W - (16)/5 - 21,02 pp Lucy Deslauriers / Hester - 8/0 - 9,32 pp Eve Jobs / Venue d´ Fees des Hazalles - 0/8 - 9,17 pp Elizabeth Madden / Breitling LS - 0/(8) - 8 pp

fonte: Imprensa CBH (Carola May / Rute Araújo)

#TimedeSaltoBrasil #TimeBrasildeSalto #RumoaTóquio2020

0 visualização