Buscar
  • Rute Araújo

Confederação Brasileira de Hipismo define equipe de Adestramento para os Jogos Sul-americanos

Atualizado: 31 de ago.

Quatro dos cinco convocados vão estrear em uma equipe internacional. Definição aconteceu depois da segunda seletiva realizada durante o Concurso de Dressage Internacional (CDI3*) no Centro Hípico de Tatuí (CHT), interior paulista.

Invicto, vitorioso nas quatro provas do Small Tour nos dois Concursos de Adestramento Internacionais - CDIs3* válidos como seletiva, Paulo César dos Santos montando Fidel da Sasa JE registrou a nota média mais alta, 70,250%, garantindo sua estreia no Time Brasil para os Jogos Sul-americanos (Odesur).

Missão cumprida para Paulo Cesar e Fidel da Sasa
Missão cumprida para Paulo Cesar e Fidel da Sasa

No Big Tour, Victor Trielli Ávila com Corsário IGS atingiu 72,040% de nota média geral (já acrescidos os 3 pontos porcentuais) e volta a integrar a equipe brasileira com o sonho de repetir o feito de 2018 quando o time foi ouro em Buenos Aires, Argentina.

Victor com seu Corsário IGS
Victor com seu Corsário IGS

Juntam-se a Paulo César dos Santos / Fidel da Sasa JE e Victor Triello Ávilla / Corsário IGS, os conjuntos do Small Tour Eduardo Alves de Lima / Florisbela VO (70,147%), Vinicius Miranda da Costa / Biso das Lezirias (68,427%) e Murilo Augusto Machado / Jorge V.O (68,353%). O Time Brasil contará com cinco vagas, sendo quatro titulares e um reserva.

Duda e Florisbela VO
Duda e Florisbela VO

No Small Tour, a nota média foi obtida na soma dos resultados do Prêmio São Jorge e da Intermediária I, e no Big Tour, do Grand Prix e do GP Special. A CBH considerou o CDI3* em que o conjunto atingiu a maior pontuação média e, à exceção de Paulo César que registrou sua melhor nota no CDI3* da Sociedade Hípica Paulista, em julho, os outros conjuntos atingiram a meta no CDI3* do Centro Hípico de Tatuí (CHT).

Vinícius com Biso das Lezírias
Vinícius com Biso das Lezírias

O anúncio da equipe de Adestramento para os Jogos Sul-americanos foi oficializado no domingo (28/8), pelo diretor de Adestramento da CBH, Sérgio de Fiori, pela chefe de equipe, Pia Aragão e pelo técnico alemão Norbert van Laak, com a presença do presidente da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH), Fernando Sperb. “Hoje, temos uma equipe com percentual médio próximo dos 70%, então é uma primeira etapa vencida. Agora é cuidar desses cavalos, dos atletas, contar com a expertise do Norbert e organizar nossa participação no Odesur. Fizemos três CDIs, sendo que os dois últimos (CDIs3*) serviram de seletivas. Foi uma temporada importante para esses cinco conjuntos, mas também para muitos outros que, embora não escalados desta vez, estão em franca ascensão”, observou Sérgio de Fiori.

Murilo e Jorge VO
Murilo e Jorge VO

Em busca do COC (Certificate of Capability), os candidatos à vaga na equipe participaram de duas fases qualificatórias: no CAN – Concurso de Adestramento Nacional realizado dias 19 e 20/5 na Sociedade Hípica Paulista e no CDI2* dias 9 e 10/7 no CHT, e de dois CDIs3*, entre 22 e 24/7 na SHP e de 26 a 28/8 no CHT.

Paulo Cesar, Victor, Sergio Fiori,  Vinícius, Pia Aragão, Murilo e Duda (foto Victor Trielli)
Paulo Cesar, Victor, Sergio Fiori, Vinícius, Pia Aragão, Murilo e Duda (foto Victor Trielli)

O COC é o índice estabelecido pela Federação Equestre Internacional (FEI): 62% no Small Tour (São Jorge e Intermediária I) e 60%, acrescidos de 3pp, no Big Tour (Grand Prix e GP Special). Objetivando uma representação forte nos Jogos Sul-americanos e na defesa das medalhas de ouro, individual e por equipes, conquistadas pelo Brasil nas duas edições da competição, a CBH elevou o índice para 68%, tanto no Small Tour quanto no Big Tour.

Sobre as duplas selecionadas

Victor Trielli Ávila / Corsário IGS - Único a competir no Big Tour, o paulista de 26 anos obteve 72,040%, já acrescidos os 3pp, no CDI3* do CHT. O conjunto é bicampeão brasileiro (2020/2021) senior top, a série de mais alto rendimento. Sua montaria, Corsário IGS, é um Puro Sangue Lusitano de criação de Ismael Gonçalves da Silva e propriedade de Sandra Regina Zecca.

Victor e Corsario IGS escaladas para defender o Brasil no Big Tour
Victor e Corsario IGS escaladas para defender o Brasil no Big Tour

Paulo César dos Santos / Fidel da Sasa - Foi a dupla que obteve a nota mais alta no Small Tour, 70,250%, durante o CDI3* da SHP. O cavaleiro paulista de Martinópolis, 39 anos, vem de uma trajetória de muitas conquistas, inclusive de atual campeão brasileiro sênior. Paulo César é irmão gêmeo do medalhista pan-americano e sul-americano João Paulo dos Santos. Paulo César faz parte do Time Fazenda Sasa JE. Sua montaria, Fidel da Sasa JE, é um Puro Sangue Lusitano de criação e propriedade de José Brito Eusébio e Nuno Eusébio.

 100% de aproveitamento para Paulo Cesar e Fidel da Sasa
100% de aproveitamento para Paulo Cesar e Fidel da Sasa

Eduardo Alves de Lima / Florisbela V.O. - A dupla assegurou o segundo melhor resultado do Small Tour com a nota 70,147% registrada no CDI3* do CHT. Duda, paulista de 43 anos, faz parte da equipe do Ilha Verde Team. Sua montaria é uma Oldenburg de criação de Victor Oliva e de seu filho, o olímpico João Victor Oliva.

Duda e a bela Florisbela VO
Duda e a bela Florisbela VO

Vinicius Miranda da Costa / Biso das Lezírias - Dupla que registrou a terceira melhor nota no Small Tour, o paulistano de 26 anos monta Biso das Lezírias, montaria do olímpico João Victor Marcari Oliva na conquista da medalha de bronze por equipe nos Jogos Panamericanos de Lima 2019. Biso das Lezírias é um Puro Sangue Lusitano importado de propriedade de Bárbara Laffranchi, amazona e vice-presidente da CBH.

Vinícius em sintonia com Biso das Lezírias
Vinícius em sintonia com Biso das Lezírias

Murilo Augusto Machado /Jorge V.O. - A última vaga na equipe foi conquistada com o registro da nota 68,353% no CDI3*CHT. A dupla, que compete no Small Tour, é bicampeã brasileira de Cavalos Novos. Jorge V.O é um Puro Sangue Lusitano de criação e propriedade de Victor Oliva.


Murilo e Jorge V.O.
Murilo e Jorge V.O.

Dois juízes 5* da FEI vieram julgar os CDIs3*: o sueco Magnus Ringmark (na Sociedade Hípica Paulista) e o belga Freddy Leyman (no Centro Hípico de Tatuí).

Sobre o Adestramento nos Jogos Sul-americanos

As competições de Hipismo – Adestramento e Salto - serão realizadas no Paraguayan Horse Club em Assunção. O Adestramento estreia no domingo (2/10), com o Prêmio São Jorge (Small Tour) e o Grand Prix (Big Tour) válidos como qualificatória para a final por equipes.

Na segunda-feira (3/10), acontecem as provas Intermediária I (Small Tour) e o Grand Prêmio Special (Big Tour), definindo o pódio por Equipes e valendo qualificação para a final individual.

Na quarta-feira (5/10), o Freestyle – prova com coreografia livre e música – da Intermediária I (Small Tour) e Grand Prix (Big Tour) definem o pódio individual.

Nos Jogos Sul-americanos, o Adestramento brasileiro é respeitado e quer continuar a fazer história. O Time Brasil chega com a missão de defender o posto de campeão individual e por equipe conquistado nas duas últimas edições do evento, em 2018, em Buenos Aires, Argentina, e em 2014, no Chile, onde, no mesmo palco - Escola de Equitação Graneros de Quillota, na região de Santiago - serão realizados os Jogos Pan-americanos de 2023; quem medalhar garante vaga para o país nas Olimpíadas de Paris 2024.

fonte: Imprensa CBH com Rute Araújo - fotos: Carola May (seletiva Sociedade Hípica Paulista) e Victor Trielli











12 visualizações0 comentário