Buscar

Eduardo Menezes, com H5 Chaganus, é vice no GP Great American dotado em US$ 1 milhão

Eduardo e H5 Chaganus integraram o Time Brasil medalha no Pan Lima 2019, carimbando o passaporte do país para Tóquio. Eduardo fica nos EUA até final de abril quando retorna para a fase final de seletivas rumo à Olimpíada. Philippe Guerdat, técnico da equipe, está nos EUA desde o início de março.


Eduardo Menezes e H5 Chaganus em ação no GP Great American (Anwar Esquivel)
Eduardo Menezes e H5 Chaganus em ação no GP Great American (foto Anwar Esquivel)

Com atuação espetacular, o medalhista pan-americano Eduardo Menezes - montando H5 Chaganus - sagrou-se vice-campeão do GP Great American, a 1.60m, que encerrou o 39º Hits Ocala Winter Circuit na Flórida (EUA), nesse domingo (28/3). Foram 60 conjuntos em pista, dentre os quais oito habilitaram-se ao disputado desempate, com US$ 1 milhão em jogo. Somente três voltaram a zerar o percurso idealizado pelo course-designer internacional Bernardo Cabral.


Número seis no desempate, Eduardo e H5 Chaganus, um filho de Chacco-blue em Whizz Kid de 13 anos de propriedade da H5 Stables (dupla que integrou o Time Brasil medalha de ouro no Pan Lima 2019), fizeram um desempate perfeito em 35s7, garantindo o vice e a fatia de US$ 200 mil da premiação. A vitória foi do alemão André Thieme montando Chakaria, que zerou o desempate em 34s39. Enquanto a 3ª colocação ficou com o britânico Darragh Kerins apresentando Lissino, sem faltas, 40s66.


"O cavaleiro alemão, André, foi antes de mim; então pude ver o percurso dele. Na primeira linha consegui dar um lance a menos que ele. Depois cuidei para chegar no oxer número 5 no desempate, ao qual nosso técnico Philippe Guerdat tinha pedido cuidado. Em seguida, virei bem para o duplo e achei que estava rápido o suficiente; acabei dando nove lances para o obstáculo final e, depois pensei, que poderia ter sido um a menos. Mas, fiquei muito satisfeito com nosso resultado e desempenho", destaca Eduardo, 40, que monta H5 Chaganus desde o final de 2018 e que antes passou pela sela de Rodrigo Pessoa e Yuri Mansur, então proprietário de Chaganus quando foi vendido para a H5 Stables.


O técnico do Time Brasil de Salto, Philippe Guerdat, está nos EUA desde a primeira semana de março quando o Brasil garantiu bronze na Copa Nações. "Ele ainda vai nos acompanhar em Wellington agora no início de abril", conta Eduardo. "Na próxima semana, temos o Internacional 3* da última semana do Winter Equestrian Festival. Mas, esse ano, também devido à suspensão dos Internacionais na Europa, a temporada no Palm Beach International Equestrian foi prorrogada com mais três semanas de concurso: a primeira será um Nacional em que saltarei os cavalos mais novos e as outras duas um Internacional 3*", revela Eduardo.


"No final de abril, volto para Bélgica e reta final das seletivas olímpicas", acrescenta Eduardo que aposta em H5 Chaganus e Magnolia Mystic Rose na corrida por uma vaga no Time Brasil em Tóquio, que pode ser sua participação olímpica. Na Rio 2016, Eduardo competiu com H5 Quintol, hoje com 17 anos. "Ele está muito bem, mas prefiro poupá-lo de uma eventual participação olímpica e estender ao máximo sua vida útil em alguns concursos selecionados."


Os Concursos Internacionais na Europa, conforme determinação da Federação Equestre Internacional, estão suspensos até 11/4 para contenção de um surto de herpes vírus equino (forma neurológica). Em seguida, os Internacionais e qualificativas olímpicas em todas as modalidades devem ser retomados com todos protocolos sanitários necessários.


Video @cbhoficial



fonte: Informações à Imprensa (Carola May / Isabella Campedelli)