Buscar
  • Carola May

Mariana Cassettari fatura o Clássico na Sociedade Hípica Brasileira no RJ

Disputa homenageou Rodolpho Luiz Figueira de Mello, sócio da Hípica e ex-presidente da Federação Equestre do Rio de Janeiro, falecido precocemente em 2020. Nesse domingo (28/11), o GP Internacional Troféu Perpétuo Roberto Marinho, instituído em 1988, encerra a tradicional competição.


Mariana Cassettari e Cehip Ana Carol Ipiranga Botupharma a caminho da vitória (Luis Ruas)
Mariana Cassettari e Cehip Ana Carol Ipiranga Botupharma a caminho da vitória (Luis Ruas)

Na noite do sábado (27/11), 46 conjuntos largaram Clássico ARM Gestão que instituiu o Troféu Perpétuo Rodolpho Luiz Figueira de Mello (in memorian), ex-presidente da Federação dos Esportes Equestres do Rio (FEERJ), no 83º Aniversário da Sociedade Hípica Brasileira, no Rio de Janeiro. Dos 46 conjuntos, somente dois garantiram percurso limpo no dificil percurso idealizado por Rafael Ferrarez, levando a decisão ao desempate. Primeira a largar, a catarinense Mariana Cassettari, uma das principais amazonas em atividade no país, com Cehip Ana Carol Ipiranga Botupharma, fechou com uma falta em 39s05, resultado que veio a lhe garantir o título de campeã.


Rodrigo Sarmento e AD Daughter of Cool 2S GMS: vice-campeão (Luis Ruas)
Rodrigo Sarmento e AD Daughter of Cool 2S GMS: vice-campeão (Luis Ruas)

O sempre competitivo mineiro Rodrigo Sarmento, apresentando AD Daughter of Cool 2GMS, cruzou a linha de chegada em 39s08, também com um derrube, ficando com o vice-campeonato. Outros três conjuntos fecharam com apenas um 1 ponto perdido por ultrapassar o tempo concedido da 1ª passagem; José Roberto Reynoso Fernandez Filho, mais premiado ginete em atividade no país, apresentando Cornet Dor JMen, dupla campeã do GP Troféu Roberto Marinho em 2020, garantiu o 3º posto com a marca de 85s55.


O cavaleiro top José Roberto Reynoso e seu Cornet Dor JMen; 3º colocado (Luis Ruas)
O cavaleiro top José Roberto Reynoso e seu Cornet Dor JMen; 3º colocado (Luis Ruas)

Garantindo presença carioca no pódio, o top da casa Tiago Mesquita apresentando Caron JMen II obteve o 4º posto, seguido pelo jovem talento paulista Raphael Mari montando Henso que cruzaram a linha de chegada em 86s19 e 86s51. Completou o pódio na 6ª colocação André Moura, atual campeão brasileiro Under 25, montando Henessy M, que foi o mais rápido entre os nove conjuntos com apenas um derrube no 1º percurso. Na cerimônia de premiação, filhos de Rodolpho, sua Maiza Figueira de Mello, e esposa a jornalista Ana Luiza Guimarães foram homenageados e também entregaram o prêmio a Mariana Cassettari, primeira vencedora do Troféu Perpétuo.


Sobre Rodolpho Luiz Figueira de Mello

Rodolpho, o Do, como era carinhosamente conhecido, foi criado na Sociedade Hípica Brasileira e presidente da Federação Equestre do Rio de Janeiro por três mandatos (o último até novembro de 2020), deixando um grande legado no hipismo carioca e brasileiro. Entre outras ações, Rodolpho foi criador dos Jogos Equestres Fluminenses que tiveram sua primeira edição em 2012 - ainda tímida - na Sociedade Hípica Brasileira com provas de salto, adestramento e enduro. No ano seguinte, em 2013, no Condomínio Herdade das Palmas, reuniu pela primeira vez quatro modalidades em só evento no país: salto, adestramento, enduro e rédeas.


"A Federação Equestre do Estado Rio de Janeiro gostaria de agradecer a presença de todos e a Sociedade Hípica Brasileira que apoiou a homenagem ao nosso querido amigo, cavaleiro e ex-presidente da FEERJ. Estamos orgulhosos de homenagear o Dô, instituindo o troféu Rodolpho Luiz Figueira de Mello. O Dô, era amigo, gentil, educado, dono de um sorriso acolhedor e talvez seu apelido fosse esse, exatamente porque ele era uma pessoa doce. Como cavaleiro, subiu aos pódios, cresceu dedicado ao hipismo e aos amigos, sempre atuante e presente, apesar de discreto e reservado com sua família. (...) Era um Lord na arte de gerir! Lutou incessantemente, sem nunca perder a simpatia, está vivo em nossas melhores lembranças", descreve um post na rede social da FEERJ, assinado por sua atual presidente Alejandra Fernandez, que foi diretora de adestramento na gestão de Rodolpho.


Agenda

Nesse domingo (28/11), o GP Internacional Troféu Perpétuo Roberto Marinho criado em 1988 -que a cada ano é atração principal no Concurso Aniversário da Sociedade Hípica Brasileira - encerra a competição a partir das 16h30. A última disputa Internacional do ano acontece durante o CSI-W Internacional Top Riders, entre 1 e 4/12, na Sociedade Hípica Paulista, onde o GP Top Riders encerra a contagem do ranking brasileiro senior top e seletivas para a convocação rumo ao Winter Equestrian Festival 2021 na Florida (EUA), o maior point do hipismo das Américas a cada início de temporada com duração de três meses.

Clássico Troféu Rodolpho Luiz Figueira de Mello

Campeã Mariana Cassettari / Cehip Ana Carol Ipiranga Botupharma - FCH - 4/39s05 Vice Rodrigo de Moraes Sarmento / AD Daughter of Cool 2S GMS - FHMG - 4/39s48 3º José Roberto Reynoso Fernandez Filho / Cornet Dor JMen - FPH - 1 pp (85s55) 4º Tiago Mesquita / Caron JMen II - FEERJ - 1 pp (86s19) 5º Raphael Mari / Henso - FPH - 1 pp (86s51) 6º André Fonseca Moura / Henessy M - FHMG - 4 pp (78s00 )


Acompanhe o placar no portal da SHB


83º Aniversário Sociedade Hípica Brasileira Av. Borges de Medeiros, 2448 Lagoa Rodrigo de Freitas - Rio de Janeiro

fonte: Informações para imprensa (Carola May)

1 visualização0 comentário