top of page
Buscar
  • Foto do escritor

Só Brasil em Cascais: duas vitórias de João Victor Oliva e um vice do estreante Renderson Oliveira

Estreando em GPs com Feel Good VO, João Victor garantiu duas vitórias; o estreante Renderson Oliveira, com Fogoso Campline, fecha com um vice e 7º lugar. Ambos garantiram índices em busca de uma vaga no Time Brasil de Adestramento no Pan-americano 2023.


João Victor e Feel Good VO: vitória no GP e no GP Special em Cascais (foto Rui Pedro Godinho)
João Victor e Feel Good VO: vitória no GP e no GP Special em Cascais (fotoRui Pedro Godinho)

O cavaleiro olímpico e medalhista pan-americano João Victor Marcari Oliva - montando Feel Good VO - em 1º e Renderson Oliveira - com Fogoso Campline - empatado em 2º fizeram a festa no GP Special do Concurso de Dressage Internacional (CDI3*) em Cascais, Portugal, neste domingo (19/2), prova que reuniu os 13 melhores conjuntos do GP disputado em 18/2 e representantes de sete países.


Foi o segundo dia de vitória de João Victor e Feel Good VO, garanhão warmblood criado pelo cavaleiro e seu pai, Victor Oliva, na Alemanha. No GP Special o conjunto registrou 71,340% de nota média final, superando a do GP do dia anterior quando venceu com 69,782% e assegurou o 1º índice com esta montaria rumo aos Jogos Panamericanos de Santiago, em outubro próximo.


Na avaliação individual, a nota mais alta, 74,149% foi atribuída por Peter Holler, da Alemanha, juiz 5* da Federação Equestre Internacional (FEI). Os outros dois juízes FEI5* atribuíram as seguintes notas à dupla : 73,085% do italiano Vinzenzo Truppa e 67,234% do holandês Eduard de Wolff van Westerrode. Os dois juízes FEI4* avaliaram a dupla com as notas: 71,596% de Frederico Pinteus, de Portugal, e 70,638% do argelino Fouad Hasmoud.


“Estou muito contente com o cavalo que se comportou muito bem como se estivesse em casa. Ele estava com energia, disposto a se apresentar, escutando bem as ajudas. É um cavalo que eu conheço muito bem, porque fui eu quem o domou, então nossa conexão é muito boa. O Feel Good é muito jovem e, creio, vai dar muitas felicidades daqui pra frente”, comentou o atleta que fez subir a bandeira brasileira e tocar o Hino Nacional por duas vezes nas principais provas do CDI3* de Cascais.


Renderson Oliveira e Fogoso Campline: vice no GP Special e 7º no GP (foto Rui Pedro Godinho)
Renderson Oliveira e Fogoso Campline: vice no GP Special e 7º no GP (foto Rui Pedro Godinho)

O posto de vice-campeão no pódio foi ocupado por Renderson Oliveira que, montando o Puro Sangue Lusitano Fogoso Campline, fez uma excelente apresentação cravando 70,234% em sua estréia internacional e em um Big Tour no circuito europeu. Renderson empatou com o português Vasco Godinho montando Iranico que também garantiu 70,234%.


“Fumaça”, apelido carinhoso do atleta de 30 anos, no GP , em 18/2, registrou 67,957% e também garantiu um 1º índice em busca de uma vaga nos Jogos Panamericanos de Santiago.

Fogoso Campline, montaria de Renderson, foi o único representante do Puro Sangue Lusitano na final individual nos Jogos de Tóquio, quando montado por Rodrigo Torres no Freestyle registrou nota histórica para a raça, 78,493%.


Renderson Oliveira e João Victor Oliva integram o Horse Campline Team, em Portugal, projeto idealizado por Thiago Mantovani que tem como objetivo a formação de conjuntos de alta performance para a Dressage com foco em Olimpíadas, Mundiais, Panamericanos etc.


Trajetória impar

Curiosamente, Renderson se tornou cavaleiro profissional por incentivo e apoio de João Victor e seu pai Victor Oliva quando trabalhava como cavalariço no haras dos Oliva, a Coudelaria Ilha Verde, em Araçoiaba da Serra (SP). Para lá foi levado por Rogério Clementino, também formado na coudelaria e que veio a se tornar medalhista panamericano e a intergrar equipe olímpica.


Acompanhando João Victor na Europa, Renderson morou na Alemanha e em Portugal e, além de ser treinado por seu incentivador, também passou a ser orientado por Norbert van Laak, renomado treinador alemão e atual técnico do Time Brasil contratado pela Conferderação Brasileira de Hipismo (CBH).


Emocionado com a conquista do “pupilo”, João Victor declarou: “Fiquei muito feliz de ver o Renderson competindo; eu acho que ele foi muito bem, uma apresentação muito positiva. É o começo de um grande conjunto, tenho certeza disso, que vai dar muitas felicidades para nossa equipe e o Brasil.”


fonte: Informações para imprensa (Carola May / Rute Araújo / Natasha Simonato)

Comments


bottom of page