Buscar
  • Carola May

Stephan Barcha e Chevaux Primavera Montana Império Egípcio faturam GP do SHP Open

Disputa válida pelo ranking brasileiro Senior Top, que em 2022 subiu de altura, e etapa seletiva para Sul-americano contou com 28 conjuntos. Marcello Ciavaglia, com sua nova montaria Premier S, foi vice. Stephan ainda está avaliando se vai à Europa tentar uma vaga no Mundial 2022.


Stephan e Chevaux Primavera Haras Império Egípcio; grande campeão do GP SHP Open (Luis Ruas)
Stephan e Chevaux Primavera Haras Império Egípcio; grande campeão do GP SHP Open (Luis Ruas)

Nesse domingo (20/3), o primeiro GP a 1.55m da temporada 2022 encerrou o 6º Concurso de Salto Nacional 4* SHP Open, na Sociedade Hípica Paulista. Estiveram em pista do GP Troféu Nelson Pessoa Filho, válido pela 1ª etapa do ranking brasileiro e seletiva para os Jogos Sul-americanos 2022, 28 conjuntos, dos quais, conforme a regra, os 12 melhores - incluindo quatro conjuntos sem faltas - habilitaram-se para a 2ª volta com R$ 200 mil em jogo. Fazendo jus à excelente campanha do ano passado, Stephan Barcha com Chevaux Primavera Montana Império Egípcio, dupla campeã brasileira senior top 2021, não deu chances aos adversários e com duplo zero em 50s42 garantiu mais uma importante vitória.


Marcello Ciavaglia e Premier 2S: dupla vice-campeã (Luis Ruas)
Marcello Ciavaglia e Premier 2S: dupla vice-campeã (Luis Ruas)

Também com duplo zero em 53s69 e na decisiva 2ª volta, o cavaleiro top carioca Marcello Ciavaglia com Premier S, BH de 10 anos, conjunto em franca ascensão e que vem de vitória no Clássico da 2ª Etapa Torneio de Verão 2022 em SP, conquistou o vice-campeonato. O sempre competitivo brasiliense Flávio Grillo, com Lorentino JMen que zerou a 1ª passagem e fez apenas uma falta na 2ª, em 48s12, garantiu a 3ª colocação.


Flavio Grillo e seu Lorentino JMen completando a rodada de 3 BHs na linha frente (Luis Ruas)
Flavio Grillo e seu Lorentino JMen completando a rodada de 3 BHs na linha frente (Luis Ruas)

"A Primavera é um fenômeno. Começamos com pé direito, agradeço muito ao José Romero (Gomems da Silva) proprietário da égua e a toda sua família, que desde o início apoiam e me incentivam a montar uma égua desse nível. Também quero agradecer a toda a equipe da Chevaux (que o cavaleiro lidera) e também à equipe do Haras Império Egípcio, juntos vamos galgar coisas muito importantes. É o início de uma caminhada", declarou Stephan, carioca radicado em Brasília, referindo-se à nova parceria com o Haras Império Egípcio.


Missão dada missão cumprida para Stephana e Primavera Montana (Luis Ruas)
Missão dada missão cumprida para Stephana e Primavera Montana (Luis Ruas)

"Agradeço ainda ao meu aluno André Moura, o Dedé, e à Estância Mourada (em Minas Gerais), porque a Primavera estava lá desde dezembro, fazendo transferências de embrião. O Dedé, meu aluno que ainda jovem já compete em alto rendimento, a estava montando todos os dias. Ele a trabalhou muito bem e a prova está aí na pista", destacou Stephan.

"Foi um GP, a 1.55m, grande para o início da temporada. Fiquei até em dúvida se saltaria uma série mais baixa. Mas ela se apresentou super bem", acrescentou o campeão que, em 2021, com Primavera, BH de apenas 10 anos, venceu nada menos que GP do Indoor e Campeonato Brasileiro Senior Top na Hípica Paulista e GP Internacional no Aniversário da Sociedade Hípica Brasileira no Rio de Janeiro, entre outras conquistas.


Os planos para a temporada 2022 ainda estão em aberto, ou seja, competir no Brasil ou partir para a Europa buscando uma vaga na equipe brasileira no Mundial 2022, em agosto, na Dinamarca. "Tenho conversado com o Philippe Guerdat, o técnico do Brasil, semanalmente. Ele conhece a égua e a mim. Vou fazer o que ele achar e o que for melhor para o processo da égua e para mim. Para o que for importante e bom para todos: estamos prontos."


Zé Roberto com seu Azarel W (Luis Ruas)
Zé Roberto com seu Azarel W (Luis Ruas)

A 4ª colocação no GP coube ao pauslita José Roberto Reynoso Fernandez Filho com seu Azrael W, mais premiado conjunto nos últimos anos no Brasil, que registrou uma falta na 1ª volta e zerou a 2ª volta no melhor tempo, 49s98.


Lucio com Haradetten S (Luis Ruas)
Lucio com Haradetten S (Luis Ruas)

Completaram o placar na 5ª e 6ª colocação, Lucio Osório com Haradette, por São Paulo, e Daniel Khury com Euclides Método, do Paraná, que vem de vitória no Clássico em Curitiba em 13/3, somando 8 pontos (duas faltas), em 48s43 e 50s13.


Daniel e Euclides Método (Luis Ruas)
Daniel e Euclides Método (Luis Ruas)

Novo patamar

Em 2022, com a nova gestão da Confederação Brasileira de Hipismo presidida por Fernando Sperb, o ranking Senior Top volta a ser disputado a 1.50/1.60m, subindo 5 centímetros de altura e equiparando-se ao rendimento máximo no Exterior. Todos os GPs têm premiação mínima de R$ 200 mil e cinco de suas 10 etapas valem como seletivas para formação do Time Brasil nos Jogos Sul-americanos - Odesur 2022, de 7 a 11/10 no Paraguai.


Fernando Sperb, presidente da CBH no ciclo olímpico até Paris 2024, comentou as expectativas do ranking Senior Top. "Nossa intenção é preparar bem os cavaleiros de alto rendimento no Brasil, para que possamos formar nossas equipes principais dando mais oportunidades para aqueles que vivem aqui. Essa 1ª Etapa do ranking foi um sucesso e estamos apostando em uma evolução marcante, para que possamos selecionar os melhores conjuntos baseados no Brasil visando - primeiramente - à participação nos Jogos Sul-americanos."


Troféu Nelson Pessoa Filho

A partir desse ano, o GP do SHP Open passou a ter um Troféu Perpétuo Nelson Pessoa Filho, o Neco, sócio honorário do clube e considerado um dos ícones máximos do hipismo brasileiro e mundial. No sentido de homenagear o cavaleiro, a SHP também realizou uma exposição sobre a carreira do cavaleiro.

A trajetória de Neco, nascido no Rio de Janeiro em 1935 e que se mudou para a Europa em 1961, como cavaleiro foi muito expressiva com participação em cinco Olimpíadas 1956, 1964, 1968, 1972 e 1992. Em Tóquio 1964 ficou com o 5º lugar individual e, entre os muitos títulos da sua carreira, conquistou o ouro por equipe e prata individual nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg 1967. Em 1956, integrou a equipe brasileira ao lado de Renyldo Ferreira e Eloy Menezes, campeã da Copa das Nações no CHIO Aachen, na Alemanha, feito que até hoje permanece inédito. Atualmente com 86 anos, Neco segue trabalhando como treinador e preparador de equipes de alto nível.



fonte: Imprensa CBH com infos SHP (Carola May, Natasha Simonato e Rute Araujo)

5 visualizações0 comentário