top of page
Buscar
  • Carola May

Final Salto | Ouro individual para Stephan Barcha montando Primavera no Pan-americano Santiago 2023

Estreando em um pan-americano, Stephan Barcha, 34, montando Chevaux Primavera Montana Império Egípcio, garantiu o ouro individual na grande final do Salto no Pan Santiago 2023. Agora, o Brasil detém 17 medalhas na história dos Jogos, incluindo dois ouros individuais em Santiago 2023 e Lima 2019.


Dupla de ouro Stephan e Chevaux Primavera Império Egípcio (Luis Ruas / CBH)
Dupla de ouro Stephan e Chevaux Primavera Império Egípcio (Luis Ruas / CBH)

Na grande final do Salto nos Jogos Pan-americanos Santiago 2023, em Quillota, sede do hipismo, nessa sexta-feira (3/11), o cavaleiro Stephan Barcha, 34, com Primavera Chevaux Império Egípcio, égua de criação nacional de 12 anos, garantiu uma atuação espetacular arrematando o ouro individual. Após o 1º percurso sem faltas, Stephan e Primavera, que haviam virado para final em 3º lugar, assumiram a liderança entre os top 20 que foram para o 2º decisivo percurso, a 1.60m.


Com faltas de outros favoritos, como dos norte-americanos McLain Ward e Laura Kraut, que vinham com menos de uma falta na liderança da competição após as duas qualificativas anteriores, Stephan e Primavera tornaram a cumprir um percurso perfeito e mesmo com leve toque na última vertical, comemorou o ouro em seu primeiro Pan-americano. A dupla de ouro totalizou 8,06 pontos perdidos (pp), incluindo sua pontuação do primeiro dia e dois percursos zerados na Copa das Nações, quando o Brasil arrematou bronze por equipes.


Stephan Barcha, ouro, Kent Farrington, prata, Mclain Ward, bronze (Luis Ruas / CBH)
Stephan Barcha, ouro, Kent Farrington, prata, Mclain Ward, bronze (Luis Ruas / CBH)

A medalha de prata ficou com Kent Farrington montando Landon, pelos EUA, que fechou o camponato com 9,64 pp. O bronze foi controverso com o norte-americano Mclain Ward montando Contagious que estava na liderança da competição antes da prova final e perdeu 12 pontos, fechando o campeonato com 15,34 pp. A canadense Amy Millar com Truman teve a mesma pontuação de Ward na soma dos dois percursos, 12 pp, e a exemplo do norte-americano incluindo uma falta na última vertical, fechando o campeonato com 17.71 pp.


A equipe do Canadá chegou a contestar o resultado, alegando que a vara caiu após a fotocélula da linha chegada e a cerimônia de pódio foi adiada. (Lembrando que cada falta equivale a 4 pp.) Porém, ao final, o bronze ficou mesmo com McLain Ward. O brasileiro Pedro Veniss, ouro por equipes no Pan Rio 2007 e Lima 2019, fechou a final individual com seu Nimrod de Muze na 5ª colocação, totalizando 16,26 pp, a menos de uma falta do medalhista de bronze.

Parceria de ouro

A parceria com Primavera, de 12 anos e filha de Calvaro Z em HFB Primaluna de 12 anos recém completos, de propriedade do Haras Império Egípico há cerca de dois anos, já dura seis anos.


Ouro para Stephan Barcha e Chevaux Primavera Império Egípcio (Luis Ruas / CBH)
Ouro para Stephan Barcha e Chevaux Primavera Império Egípcio (Luis Ruas / CBH)

"Eu monto a Primavera há seis anos. No começo, ela era uma égua bem sensível, mas em praticamente tudo que disputamos tivemos êxito. Hoje é um dia muito especial que não dá para esquecer e está na história, a Primavera é uma égua incrível e sempre tentei levá-la da melhor forma possível", destacou Stephan Barcha, que entre outros títulos foi bicampeão brasileiro senior top 2020/2021 (rendimento máximo), mantendo também sua performance nos principais GPs do país em 2022. No início de 2023, a dupla foi para Europa no intuito de disputar uma vaga no Time Brasil e, entre outras conquistas, integrou o time medalha de ouro na Copa das Nações de La Baule, França, e foi bronze no GP5* Rolex em Roma. Em 2022, foi ouro por equipe e prata individual nos Jogos Sul-americanos (Odesur), carimbando a vaga do país para o Pan.


Entre suas dedicatórias a toda a equipe e proprietários de Primavera, Stephan se emocionou ao falar de Ibsen Villaça, seu professor no início da carreira (in memorian) e do amigo Vavá Nascimento, que faleceu precocemente no início de 2023 "Todos os dias eu escuto os áudios do Vavá, me incentivando a chegar aqui", contou o campeão pan-americano, bastante emocionado. Mas também não faltou outra dedicatória mais que especial ao técnico Philippe Guerdat.


"Na véspera do Pan, em Lima, eu tive um acidente na Suíça e estava disputando a vaga na equipe. O Guerdat foi comigo ao hospital. O médico falou que quebrei a clavícula e Guerdat, na hora, falou 'você está fora da equipe' e, no mesmo fôlego, disse 'você é jovem e ainda vai conquistar muita coisa'. Eu tenho um carinho muito especial por ele; é mais que técnico, mas um amigo." Agora, é claro, Stephan já pensa em Paris 2024. "Hoje vou comemorar muito e a partir de amanhã começa o planejamento para os Jogos Olímpicos. Mas, antes, a Primavera também terá um merecido descanso."


Histórico brasileiro na competição

O Time Brasil de Salto foi ouro por equipes seis vezes: Winnipeg 1967, Havana 1991, Mar del Plata, 1998, Rio de Janeiro 2007, Lima 2019. No individual foi ouro com Stephan Barcha em Santiago 2023 e Marlon Zanotelli, em Lima 2019. O país também detém duas pratas individuais com Nelson Pessoa Filho em Winnipeg 1967 e seu filho, o campeão olímpico Rodrigo Pessoa, na Rio 2007, além de bronze individual com Vitor Teixeira em Havana 1991 e Winnipeg 1999, Bernardo Alves, em Guadalaraja 2011. Agora, ao todo, o Brasil detém 16 medalhas incluindo prata por equipes em Chicago 1959, Guadalajara 2011, bronze por equipes em Santo Domingo 2003 e Santiago 2023. Os EUA venceram os Jogos Pan-americanos oito vezes, além de ter conquistado seis ouros individuais.




fonte: Informações à Imprensa (Carola May / Rute Araujo)

Comments


bottom of page