Buscar

Só deu Brasil no Adestramento no Sul-americano 2022: ouro, prata e bronze

Após levar o ouro por equipes, o tri consecutivo e a vaga no Pan-americano do 2023, os cavaleiros do Time Brasil dominaram o pódio individual nos Jogos Sul-americanos - Odesur 2022: Paulo Cesar dos Santos, ouro, Victor Avila, prata, e Vinícius Miranda, bronze.

Agora, a meta já está voltada para o Pan 2023.


Paulo Cesar dos Santos, ouro, Victor Avila, prata, e Vinícius Miranda, bronze (Luis Ruas)
Paulo Cesar dos Santos, ouro, Victor Avila, prata, e Vinícius Miranda, bronze (Luis Ruas)

Nessa quarta-feira (5/10), os integrantes do Time Brasil de Adestramento - medalha de ouro nos Jogos Sul-americanos, Odesur 2022 - confirmaram o favoritismo e também dominaram a disputa individual com 100% de aproveitamento no Club Hípico Paraguayo em Assunção.


Paulo Cesar dos Santos e Fidel da Sasa JE: ouro individual (Luis Ruas)
Paulo Cesar dos Santos e Fidel da Sasa JE: ouro individual (Luis Ruas)

Paulo Cesar dos Santos (apresentando Fidel da Sasa JE) foi o 3º brasileiro na Final que, com um emocionante Freestyle Inter I - exercícios obrigatórios com coreografia livre e música -, levantou a torcida; com a média final de 73,150% faturou o ouro. Paulo Cesar, 39, igualou o feito de seu irmão gêmeo João Paulo dos Santos, também ouro individual e por equipes na última edição do Sul-americano em 2018, na Argentina.


A exemplo do irmão, Paulo Cesar trabalhava na lida de gado e começou no adestramento com mais de 20 anos. Hoje, hoje integra a tropa de elite da modalidade montando pela Fazenda Sasa, maior criatório de lusitanos do mundo. "A gente trabalhou muito para isso. Graças a Deus, hoje eu fui glorificado com mais uma medalha de ouro e está aí o Time Brasil com mais três medalhas", destacou Paulo Cesar, campeão brasileiro senior 2020 e vice em 2021, que agora já foca no Pan 2023.


Victor Avila e seu Corsario IGS: prata individual (Luis Ruas)
Victor Avila e seu Corsario IGS: prata individual (Luis Ruas)

Victor Trielli Avila, bicampeão por Sul-americano por equipes 2018/2022, montando Corsário IGS foi o terceiro brasileiro em pista e único a competir no Freestyle Big Tour, o que automaticamente rende ao conjunto 3% a mais na nota final. A dupla vinha fazendo uma bela apresentação quando a música parou devido a uma queda de energia.


"Foi uma pena, no meio do Freestyle acabar a energia e ter que recomeçar a prova da metade pra frente. Fiquei com o cavalo parado por quase cinco, seis minutos. Enfim, eu estava fazendo uma linda prova e depois disso a concentração foi embora. Mas, saímos com a prata e estou muito feliz de estar aqui", destacou Victor, 26, que ao final fechou com 71,410% de aproveitamento conquistando a prata.


Victor Avila: eleito melhor cavaleiro internacional (Luis Ruas)
Victor Avila: eleito melhor cavaleiro internacional (Luis Ruas)

"Já estou focado no Pan com o objetivo final de sonhar com uma vaga em Paris; vamos trabalhar todo dia para isso, pois, é assim a gente conquista os objetivos", destacou o cavaleiro, único que já havia competido em um Sul-americano e que foi condecorado com a premiação de melhor cavaleiro internacional.


Missão cumprida par Vinícius Miranda e Biso das Lezírias: bronze individual (Luis Ruas)
Missão cumprida par Vinícius Miranda e Biso das Lezírias: bronze individual (Luis Ruas)

O bronze coube a Vinícius Miranda e Biso das Lezírias, 2º brasileiro em pista, fazendo uma bela apresentação no Freestyle Inter I que lhe rendeu 71,215% de aproveitamento. "Foi uma prova muito bacana, acho que consegui montar o cavalo como eu devia ter montado. A gente arriscou, nosso Freestyle tem várias coisas de grau de dificuldade alta e tudo se encaixou. O Biso é um super cavalo, a equipe está de parabéns, garantimos o máximo de medalhas possível", destacou Vinícius, 26, estreante nos Jogos.


"Estou super contente, é uma sensação muito boa de dever cumprido e quero agradecer a todas as pessoas que me trouxeram até aqui. Agora, a ideia é subir para o Grand Prix com foco no Pan e acho que, com qualidade do Biso, podemos chegar lá", finalizou o medalhista.


Já o jovem talento Murilo Augusto Machado, 26, com Jorge VO, dupla que foi alçada à condição de titular devido a uma leva contusão da égua Florisbela VO do cavaleiro Duda Alves, também tinha motivos de sobra para comemorar. O cavaleiro fechou em 6º lugar no Freestyle Inter com 69,190% e 7º lugar na classificação geral.


"Adorei meu Freestyle hoje, gostei muito como meu cavalo estava e eu também acho que aprendi muito aqui. Quando você chega nesse nível, você olha para trás e vê que já andou bastante, mas ainda tem muito para caminhar. Fiquei feliz, me diverti, acho que está tudo certo. A nota foi o resultado do nosso trabalho. Agora é só aproveitar e olhar para frente", resumiu o cavaleiro formado na Coudelaria Ilha Verde e estava contando com todo apoio do titular João Victor Oliva, melhor brasileiro do ranking mundial e que veio da Europa especialmente para acompanhar a competição.

Festa do Time Brasil de Adestramento no pódio do Odesur: 100% de aproveitamento (Luis Ruas)
Festa do Time Brasil de Adestramento no pódio do Odesur: 100% de aproveitamento (Luis Ruas)

Os quatro medalhistas montaram cavalos de lusitanos, uma vez que a Florisbela VO, oldenburger, desse vez acabou não competindo. Lideraram o Time Brasil, dono do maior número de medalhas possível na modalidade Adestramento no Odesur 2002, a chefe de equipe Pia Aragão, o técnico Norbert van Laak, ao lado do veterinário Henrique Macedo, dirigentes, além das equipes de apoio de cada atleta e familiares.


"Temos um ano pela frente até o Pan e passa rápido. Vamos trabalhar para levar o máximo de cavalos de nível Grand Prix", comentou o treinador Norbert van Laak, referindo-se à regra que no Pan é possível competir com equipes mistas (Big e Small Tour), mas em Olimpíadas só equipes de Grand Prix.

Barbara Laffranchi, vice-presidente da CBH e proprietária de Biso das Lezírias, também está otimista. "Acredito que podemos chegar a 10 conjuntos de nível Grand Prix no ano que vem", ponderou Barbara, que acompanhou a competição do início ao fim.

Formaram o júri a presidente Sandra Andrea Smith, da Argentina, Claudia Moreira de Mesquita, Brasil, Sandra Hotz, EUA, Cesar Torrente, Colômbia e Marian E. Cunningham, todos juízes FEI 4*.


Resultado completo


fonte: Informações para imprensa (Carola May / Rute Araújo / Natasha Simonato)

2 visualizações0 comentário